segunda-feira, 11 de junho de 2018

Exposição “Do Toque ao Clique” conta história da música em São Paulo

 

Que tal embarcar em uma viagem histórica e sensorial, passando por autômatos, caixas de músicas, gramofones, jukebox, pianolas, realejos, vitrolas e muito mais?

Com curadoria de Leão Leibovich, “Do Toque Ao Clique – A História Da Música Automática”, em cartaz no Sesc Vila Mariana até 29 de julho, é inédita no Brasil e reúne um acervo rico de peças sonoras históricas, além de mídias musicais e aparelhos eletrônicos. Os objetos, construídos em sua maioria ao longo dos séculos XIX e XX, permitem traçar um panorama histórico e social da música mecânica programada e automática ao redor do mundo.

Inaugurada em abril, mostra conta com cerca de 100 peças e já recebeu mais de 10 mil visitantes

A música automática evoluiu do toque ao clique, passando por diversos tipos de máquinas e mídias, metamorfoseando tecnologias, recriando e revolucionando os hábitos sociais. Para mostrar ao público essa evolução da música programada, o Sesc Vila Mariana apresenta a exposição “Do Toque Ao Clique – A História Da Música Automática”, que conta cronologicamente as principais etapas que constituem esta revolução tecnológica e seu papel dentro da história da humanidade. A mostra é gratuita e aberta ao público em geral.

A exposição reúne um acervo de peças centenárias – provenientes da Europa e Estados Unidos – composto por caixas de música, autômatos, realejos, fonógrafos, gramofones, vitrolas, jukebox e muitos outros itens que datam de 1820 até os tempos atuais, totalizando cerca de 100 peças.

Uma cenografia e uma ambientação especial também foram criadas para receber a mostra, além de uma paisagem sonora com sons ambientes. Algumas peças da exposição (11 no total), possuem vídeos em que o público pode ver o funcionamento das obras, além de escutá-las.

CAIXAS DE MÚSICA

Leão Leibovich explica que hoje só conseguimos escutar música no celular graças aos antigos realejos de rua: “Durante toda a história até o começo do século 19, para se ouvir música dentro de casa, era preciso ter um cantor ou um músico na família. Caso contrário, só mesmo contratando um artista. Apreciar música era um privilégio para poucos afortunados que podiam ir a teatros ou diversão pontual para muitos que não se importavam em ficar em praças públicas, no calor ou no frio, dançando ao som dos realejos de rua.”

“Nas vésperas da Revolução Industrial, os relojoeiros suíços e alemães iniciaram um processo importantíssimo e irreversível para o futuro da música em todo o mundo. A alegria começou a entrar na casa das pessoas através de pequenas máquinas movidas à corda. Eram as caixas de música. Assim como os realejos, elas reproduziam, por intermédio de um sistema de cilindro programado, os hits da época repletos de árias, polcas e valsas. Por quase cem anos o mundo acompanhou a evolução de dezenas de máquinas e mídias cada vez mais sofisticadas e para todos os gostos e bolsos. Mas somente a partir da invenção do fonógrafo de Edison foi possível gravar e reproduzir o som como ele é. Inclusive a voz humana”, conta o curador.

O TOQUE

O conceito de música programada só surgiu porque nossos ancestrais sonharam com instrumentos capazes de executar uma música inteira com um simples toque, como o girar de uma manivela ou o acionar de uma alavanca.

Máquinas maravilhosas que tocassem sozinhas, sem a necessidade de um músico ou instrumentista, foram idealizadas desde povos muito antigos. Para os inventores, a automação significava não apenas entretenimento, mas uma comodidade na execução de tarefas pré-programadas a um simples comando. Para as pessoas comuns o resultado era surpreendente. Como um toque de mágica a música se transformou na primeira das sete artes.

O CLIQUE
O século 20 trouxe tanto melhorias para antigas necessidades como novas tecnologias para atender a diversas demandas. Os eletrônicos, as gravações elétricas, o aperfeiçoamento do magnetismo e, principalmente, a corrida pela portabilidade. O rádio e a TV inauguraram a Era da Informação e só haveria espaço no mercado para equipamentos simples e práticos. As pessoas não queriam mais ficar girando uma manivela para obter um som, nota por nota. Queriam aparelhos eletrônicos que trocassem as mídias automaticamente e funcionassem com apenas um clique.

Com o futuro em voga, a informática e a nanotecnologia também ganhavam seu espaço e milhares de possibilidades estavam a um clique do mouse. A internet acelerou o processo da informação e a música programada não podia ficar de fora. Os aparelhos ficaram mais compactos até caberem num pequeno bolso. As mídias diminuíram de tamanho até sumirem completamente do plano físico. Atualmente, a música é compartilhada através de sistemas sem fio como o wi-fi e o bluetooth.

A música automática evoluiu do toque ao clique passando por diversos tipos de máquinas e mídias, metamorfoseando tecnologias, recriando e revolucionando os hábitos sociais. “Hoje em dia as plataformas digitais acabaram com a necessidade de um aparelho específico para se ouvir música. Smartphones e players para todos os bolsos e gostos são capazes disso e muito mais. Não precisamos mais procurar a música, a música nos encontra onde quer que estejamos”, acredita Leão.


DO TOQUE AO CLIQUE - A HISTÓRIA DA MÚSICA AUTOMÁTICA

Em cartaz até 29 de julho de 2018, terças a sextas-feiras, das 10h às 21h30; sábados, das 10h às 20h30; domingos e feriados, das 10h às 18h30. Atrium – 1º andar – Torre A e Espaço da Palavra – 5º andar – Torre A do Sesc Vila Mariana. Livre. Grátis.

Estacionamento: R$ 5,50 a primeira hora + R$ 2,00 a hora adicional (Credencial Plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes). R$ 12 a primeira hora + R$ 3,00 a hora adicional (outros). 200 vagas.

SESC VILA MARIANA – Rua Pelotas, 141 – Vila Mariana. Telefone – (11) 5080-3000. Acesso para deficientes físicos. Horário de funcionamento da Unidade – Terça a sexta, das 7h às 21h30; sábado, das 9h às 21h; e domingo e feriado, das 9h às 18h30. Central de Atendimento (Piso Superior – Torre A) – Terça a sexta-feira, das 9h às 20h30; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h30. www.sescsp.org.br.



Facebook, Twitter e Instagram: /sescvilamariana

Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc Vila Mariana


Trevas

A criatura sinistra em que se transforma o vocalista Attila Csihar, durante o show do MayhemA criatura sinistra em que se transforma o vocalista Attila Csihar, durante o show do Mayhem

Em atmosfera sombria e atemporal, Mayhem repete a dose ao executar a íntegra de álbum seminal para o black metal no Rio. Fotos: Daniel Croce.


O procedimento de tocar discos na íntegra para reviver momentos de bandas clássicas nunca fez tanto sentido quanto na enfumaçada noite desta sexta (8/6), no Teatro Odisséia, no Rio. Porque poucos álbuns são tão representativos para um subgênero do rock quanto o que está sendo executado, de cabo a rabo, com ares de obra-prima mais bem acabada, interpretada, teatral, cinematográfica até. Uma segunda oportunidade – o show passou por este mesmo local há menos de dois anos, relembre – para que fãs de black metal da real capital de um país tropical saiam de suas catacumbas para viver e entender o que é e como foi criado o black metal norueguês. É o Mayhem, em carne, osso e todo paramentado, tocando a íntegra de “De Mysteriis Dom Sathanas”. Bem-vindos - e de novo - às trevas.

O disco, um dos trabalhos mais influentes do black metal em todos os tempos – repita-se - resume toda a fase inicial do grupo norueguês, porque, lançado em 1994, traz músicas que começaram a ser compostas desde ao menos 1987, e atravessa todo o período mais controverso do gênero, incluindo suicídios, assassinatos, queima de igrejas e outras manifestações do Mal transubstanciadas em forma de música; ou seja, a essência do black metal. A oportunidade é ainda mais especial porque o grupo tem na atual formação duas das verdadeiras lendas vivas do black metal planetário: o vocalista Attila Csihar e o baterista Hellhammer, que gravaram o seminal álbum reverenciado esta noite. É ou não é um momento para se anotar no caderninho?

O que faz toda a diferença. Primeiro, pelo carisma e pela forma interpretativa com a qual o húngaro Csihar conduz toda a exibição, sob mantos ancestrais, com a expressão cadavérica proporcionada por um indelével corpse paint que realça sua avantajada compleição física. Durante a noite, ele se relaciona com crânios e/ou monstrengos macabros que surgem como fantoches de dentro de sua manga esquerda, como em “Life Eternal”, por exemplo. Sob névoa e luz caótica, tudo parece real e absolutamente dos infernos. Depois, ressalte-se a forma peculiar como Hellhammer conduz a bateria, em uma velocidade descomunal que faz toda a diferença para o tipo de som que o Mayhem produz. A partir dessa batida alucinada é que os dois guitarristas e o baixista Necrobutcher, integrante fundador, têm que correr atrás, e o resultado beira o inacreditável.

Vista do palco com o Mayhem pregando o espetáculo com a íntegra do álbum 'De Mysteriis Dom Sathanas'

Vista do palco com o Mayhem pregando o espetáculo com a íntegra do álbum 'De Mysteriis Dom Sathanas'

Como em “Cursed Into Eternity”, uma paulada abissal minimalista, com um som reto, cru e, ao mesmo tempo, dilacerante. A música é antecedida por uma atmosfera sinistra, com chuvas e trovoadas que ambientam quase todas as passagens de faixa a outra do álbum – oito, no total –, somando quase uma hora de pura alucinação e, também, perplexidade. Em “Pagan Fears”, com um início tribal, a banda impinge mudanças de andamento – em outras peças também – que resultam em espécie de progressivo do Mal. É como se a técnica apurada dos músicos mirasse um refinamento tal que completasse a volta até encontrar o básico, o primitivo, o cru. Ainda que na outra vez o som do Odisséia não tenha decepcionado, desta feita há uma mesa e som extra apenas para o Mayhem. E reforça-se que, na seara do black metal, se o som não for bom, vai tudo por água abaixo.

Como em um vácuo do tempo, o show, esteticamente falando, tem impacto maior quando se encerra em si mesmo. De modo que, ao término de “De Mysteriis Dom Sathanas”, a música, todos poderiam ser tele transportados imediatamente de volta para as suas casas. Mas tem um bis de cara quase limpa, e dessa vez vitaminado com cinco faixas de fases menos influentes do Mayhem. Vale pela presença de “Deathcrush”, que o público adora, e para mostrar coisas mais recentes, como “MLAB”, do álbum “Esoteric Warfare”, de 2014, gravado por essa formação. Ao mesmo tempo, por conta de uma tonalidade quase hardcore, o bloco do bis faz o público se debater sem parar, sem a perplexidade da primeira parte, como em uma espécie de transição para que a volta à realidade não seja tão dura. Mas que ninguém vai esquecer dessa noite de metal extremo, não vai mesmo.

“Vai ser rapidinho, mas vai ser legal”. A frase, dita pelo baixista e vocalista do Enterro, Kaffer, resume bem o que aconteceu com as bandas que tocaram antes. Registra-se que o evento, que mudou de lugar e horário várias vezes, quase foi cancelado por motivos de crise e acabou acontecendo na raça, de última hora, no Odisséia. Assim, cada uma das três bandas tocou por cerca de miúdos 15, 20 minutos. O Enterro se destaca pelas boas tramas instrumentais no black metal e consolida a formação de quarteto com Kaffer nos vocais e ordens para o público agitar que fazem efeito. As melhores músicas da noite são “Excommunicated”, com ênfase na transição entre trechos mais rápidos e mais cadenciados, e “This Land Shall Burn”, verdadeira locomotiva extrema com um “que” de cativante que faz o púbico erguer os punhos no final.

Trevas: a atmosfera pesada criada pelo grupo para a execução de uma obra-prima do black metal
Trevas: a atmosfera pesada criada pelo grupo para a execução de uma obra-prima do black metal


Antes, o encapuzado 7 Peles, cheio de mistério, mandou quatro pedradas. A banda, que toca oculta por capuzes e tem cada integrante com o mesmo nome – 7 Peles mesmo - no maior estilo Ghost, tem a identidade dos integrantes escondida a sete chaves. Foram três músicas próprias, com destaque para “Cayin” e seus solos próximos do melódico. A grande atração, contudo, foi a participação de Attila Csihar, ele mesmo, o frontman do Mayhem, de cara limpa, em um cover para “Beyond”, do Tormentor, sua banda de origem. Pena que boa parte do público não percebeu. Mais cedo, o bom Svatan de Curitiba, que usa toda a indumentária black metal e corpse paint, abriu os trabalhos para um público bem reduzido, que ainda se desvencilhava na entrada do Odisséia. Precisam votar ao Rio em melhores condições.

Set list completo Mayhem:
1- Funeral Fog
2- Freezing Moon
3- Cursed in Eternity
4- Pagan Fears
5- Life Eternal
6- From the Dark Past
7- Buried by Time and Dust
8- De Mysteriis Dom Sathanas
Bis
9- Deathcrush
10- MILAB
11- To Daimonion
12- Carnage
13- Pure Fucking Armageddon

O momento do show em que Attila Csihar se relaciona com o crânio macabro oriundo dele próprio
O momento do show em que Attila Csihar se relaciona com o crânio macabro oriundo dele próprio

Nota: Os integrantes do 7 Peles pediram que suas identidades permanecessem desconhecidas e por isso o texto original foi modificado para esta versão, em 10/6/18.


Fonte: Rock em Geral
 

sábado, 9 de junho de 2018

B.B. Rock: Concurso elegerá 10ª banda que tocará no festival

 
 Show da banda Megahertz no Theresina BB Rock 2017. Foto: divulgação



O festival Theresina BB Rock, que acontece no dia 07 de julho, chega a sua segunda edição com uma novidade para os amantes do rock n’ roll.

A organização do evento divulgou nesta quinta-feira (07) o edital do concurso que deverá escolher a 10ª atração do evento. As bandas que possuem trabalho autoral, lançados recentemente, podem se inscrever para disputar esta vaga nas eliminatórias. ACESSE AQUI.

“Devido a grande procura, a gente vai ter um concurso pra poder eleger uma banda que vai estar no festival com a gente. As eliminatórias vão ser realizadas no Shopping Rio Poty, na praça de alimentação, nos dias 23 e 30 de junho e ao final, o ganhador desse concurso vai fazer parte do cast do BB Rock”, explica Bruce Cordão, um dos organizadores do evento.

O festival traz como ‘pilares’ um espaço gourmet com hamburger e o autêntico churrasco de chão, várias marcas de cerveja artesanal de Teresina e, claro, muito Rock n’ Roll. Outra novidade trazida pela organização este ano é a BB Rock Street, um espaço de compras dentro do festival onde os visitantes poderão dispor de produtos com a marca do evento e outros com alusão ao estilo rock.

As bandas que irão se apresentar no festival, todas legitimamente piauienses, são: Validuaté, Cojobas,  Prowler, Brito Jr., Maverick 75, o retorno das bandas Acesso e Dom Corleone e a mais recente confirmação, a banda Deep Moon. Segundo o organizador do evento, Ostiga Jr., o festival tem movimentado a cena musical de Teresina e estimulado bandas produção autoral.

“A gente vê um reflexo da primeira edição do festival nesse sentido. Do ano passado pra cá, você pode aguardar que você vai ver muito lançamento de trabalho local, de bandas e músicos locais, todo mundo produzindo”, disse Ostiga em entrevista ao Jornal do Piauí.

Os ingressos já estão disponíveis no site ingresse.com e também no quiosque BB Rock no Shopping Rio Poty, que fica na praça de alimentação.




Fonte: Cidade Verde

Ralph Santolla: ex-guitarrista do Deicide terá aparelhos desligados

 

Conforme noticiado anteriormente, Ralph Santolla sofreu um ataque cardíaco e estava em coma. Hoje seu filho, Dorian Angelo Santolla, postou a seguinte mensagem:

"Vamos tirar meu pai do aparelho de suporte a vida na quarta-feira (06/06). Se algum de seus amigos gostaria de se despedir, a família irá recebê-lo no St. Joseph's amanhã (terça-feira). Ele apreciaria o amor. Obrigado".



Fonte: Rock Brigade

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Já está disponível, “Wildness”, novo álbum da banda Snow Patrol

 



A banda Snow Patrol lança hoje seu novo álbum “Wildness”. Ouça e baixe AQUI:  . O sétimo álbum estúdio do grupo chega com 15 faixas. A banda vem divulgando faixas do repertório como: “What If This Is All The Love You Ever Get?”, “Life On Earth” e “Empress”.

Formado por Gary Lightbody, Paul Wilson, Nathan Connolly, Johnny McDaid e Jonny Quinn, o Snow Patrol lançou o single “Don´t Give In”, a primeira música do álbum divulgada, que já conta com mais de 6 milhões de plays no Spotify.

 Snow Patrol - Empress:



Fonte: Universo do Rock

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Integrante da banda Merohomem morre em acidente na Ponte Wall Ferraz



  
Naldo é o primeiro na foto da esquerda para a direita. Foto: Facebook.


O musico Naldo de Oliveira, da banda Merohomem,  morreu na manhã de hoje quinta-feira após a moto em que estava se chocar com um poste de iluminação na Ponte Wall Ferraz. O acidente aconteceu por volta das 7h30 da manhã. 

Segundo foi apurado, ele era vocalista da banda Merohomem e retornava de um show realizado na AABB, onde se apresentou o grupo de reggae Ponte de Equilíbrio. Banda de reggae roots muito conhecida no cenário nacional na qual Naldo era fã e tocava o mesmo estilo.

Hoje ele se apresentaria com o grupo no Festival de Inverno de Pedro II. A polícia não tem informações de como aconteceu o acidente. Não se sabe se o músico bateu  sozinho ou se foi fechado por algum veículo. Um bombeiro que passava pelo local ainda tentou prestar socorro à vítima, mas ele não resistiu aos ferimentos.


Na página do cantor no Facebook, amigos começam a deixar mensagens onde afirmam não acreditar no que aconteceu. Mas como sempre se menciona em casos de acidente; a morte só quer uma desculpa para levar quem está vivo!

Foto: Cidadeverde.com

Assista ao clipe da música "Fogueira" da banda lançado no YouTube e nós da FUNDAROCK  abrimos este espaço para esta fatalidade e homenagear o musico que deixa nos deixa cedo e carrega para o criador um talento enorme que ficará só na saudade de amigos e familiares.



Com informações do Portal Cidade Verde

terça-feira, 22 de maio de 2018

Primeira edição do Rock in Lounge reúne as bandas Mamamute e Wasadog

 

Banda Mamamute faz show de lançamento do álbum Cinza Concreto


O projeto “Rock In Lounge” é uma iniciativa da Giro8 Produtora, braço executivo de projetos de ocupação urbana do “Artistas na Rua”, movimento que trabalha ativamente em prol da liberdade de expressão artística e luta junto ao poder público e privado para garantir a valorização e profissionalização dos artistas de rua atuantes nas grandes cidades, mapeando manifestações de arte urbana.

Depois de oito anos fazendo projetos com artistas de rua com grandes parceiros, como Globo, Prefeitura de São Paulo, CPTM, Metrô, Accor (Ibis Styles) e Mirante 9 de Julho, continuando firmes neste sentido, percebemos que havia espaço em nossa produtora para também apoiar novos projetos e formatos artísticos. O resultado é a união de artistas de rua – com os quais já estamos totalmente envolvidos – com bandas independentes que eventualmente usam as ruas como palco e também lutam por espaço nas cidades para mostrar seus trabalhos, promovendo uma verdadeira troca de experiências e um choque de realidades. O principal intuito é gerar sinergia e a boa convivência entre eles, principalmente nesta metrópole caótica e tão carente de acesso à arte e espaços alternativos para a nova cena musical.

O projeto propõe um novo modelo multiplicador, além do intercâmbio de experiências e a inclusão dos artistas de rua no mercado musical e digital global, abrindo novos espaços para a música nacional em todas suas manifestações.

Nesta primeira edição do “Rock in Lounge”, onde o espaço foi gentilmente cedido pela Unibes Cultural, duas bandas atuais e autorais sobem ao palco: a banda Mamamute – lançando o álbum “Cinza Concreto” – e a banda Wasadog (ex-Moondogs). Ambas muito atuantes no novo cenário da música paulistana e com distribuição digital da Ditto Music.


Sobre – Mamamute:
 

A banda Mamamute lança o álbum “Cinza Concreto” – com a música de trabalho “Quem Dá Mais?” – e reflete sobre a nuvem de incerteza e de descrença que há décadas paira sobre o Brasil. Além de trazer uma letra ácida, a música atinge os ouvidos com uma execução agressiva e que reflete com fidelidade todo o peso carregado nos ombros brasileiros. Anteriormente distribuídos pela Universal Music, a Mamamute inicia um novo ciclo junto à Ditto Music para os lançamentos previstos para 2018. A parceria com o novo selo se deu num momento decisivo no qual a banda optou por atuar de forma mais orgânica no cenário independente junto a outras bandas similares. O lançamento oficial do álbum é no próximo dia 25 de maio e poderá ser ouvido em todas as plataformas digitais.
 
Recentemente, a banda divulgou seu primeiro clipe “Saara” (veja abaixo), um single que veio preparando o terreno para o disco “Cinza Concreto”, que terá 8 faixas e será lançado em 25 maio de 2018.


A Mamamute traz em seu repertório uma mistura fluída de estilos que representam com categoria a miscelânea cultural do país. O grupo aposta nos caminhos da improvisação entre rock, música popular brasileira, fusion e soul. A banda já se apresentou em lugares como: Expomusic, Festival de Rock de Indaiatuba (dividindo o palco com Sepultura), Buzina Festival (dividindo o palco com NX Zero, Fresno, etc), Hangar 110, Conservatório Souza Lima, Manifesto Rock Bar e recentemente no Programa Showlivre, apresentado pelo músico Clemente Nascimento.
Integrantes:
● Felipe Muniz – Vocal
● Ronaldo Aguiar – Guitarra
● Caio Pamplona – Baixo
● Thiago Vilela – Bateria
Sobre – Wasadog:
Antes conhecida como The Moondogs, Wasadog é a nova cara de uma banda que já possui muita história para contar. Depois de uma trajetória com muitos cenários, personagens e, é claro, muita música, o que ficou foi uma base sólida para uma carreira muito maior se desenvolver nesta sua nova fase, com um novo álbum para sair em 2018 e a conquista de um lugar de destaque dentro do rock no Brasil e no mundo.
O quarteto formado em 2010 por Johnny Franco (vocalista e guitarrista), Gabriel Gariani (baixista), Victor Prado (guitarrista) e Gabriel Borsatto (baterista) iniciou sua discografia em 2014 com “Black & White Woman”, disco produzido por Gustavo Riviera (da banda Forgotten Boys) que já nasceu histórico por ter sido o último mixado pelo lendário Roy Cicala, que teve no currículo de John Lennon a Frank Sinatra, de AC/DC a Jimi Hendrix. Foi com esse álbum que a banda foi escolhida pelo próprio Jake Bugg para a abertura de seu primeiro show em São Paulo, naquele mesmo 2014.
No ano seguinte, o grupo foi um dos maiores destaques no programa “Superstar”, da Rede Globo, oportunidade que não só alavancou sua popularidade, como também o colocou em contato com outras bandas que viraram parceiras na vida e amigas no trabalho – ou vice-versa. Em seguida, foi atingida a marca impressionante de 40 shows em 80 dias, passando por Londres, Nova York, Nashville, Los Angeles e Santa Mônica ao lado da também independente Ted Marengos, tudo registrado em uma série documental publicada na Internet.



Sobre – Giro8 Produtora:
 

A Giro8 Produtora nasce de uma extensa relação com artistas de rua, eventos, live marketing, festivais e projetos especiais.
 
É um desdobramento do projeto Artistas na Rua [www.artistasnarua.com.br], com expertise em tirar o melhor da rua, ampliar, potencializar e superar as expectativas de todo projeto e ideias. Depois de oito anos trabalhando junto aos artistas de rua para garantir a liberdade de expressão artística e em uma ocupação do espaço urbano mais humanista e organizada.
 
Oferecendo serviços que passam por curadoria, consultoria, produção e criação de conteúdo, a Giro8 Produtora é hoje referência em projetos que levem em contato o potencial criativo do espaço urbano, auxiliando marcas a se firmarem como agentes de transformação das cidades.


Sobre a Ditto Music:
 

Fundada em 2006 pelos irmãos Matt e Lee Parsons, a Ditto Music acumula feitos importantes. Por 20 vezes seus lançamentos indies alcançaram o Top 40 Hits no Reino Unido. A empresa “fundou” seis mil gravadoras e, no ano de 2016, foi ranqueada em 18º lugar entre os maiores distribuidores de música digital nos EUA.

Em 2018 a Ditto Music foi pela quarta vez indicada como o melhor serviço de distribuição digital Selo/artistas pela “Music Weeks Awards”, maior prêmio da indústria do Reino Unido.

Desde abril de 2017 no Brasil, com sede em São Paulo, a britânica Ditto Music está presente com escritórios no Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, Suécia, África do Sul, México, Espanha, Argentina, Filipinas e Índia. A empresa de distribuição digital atende mais de 150 mil artistas e selos e os distribui em mais de 200 lojas de música, em mais de 240 países, incluindo os maiores players como: Spotify, Napster, Apple Music,Google Play, Amazon, VEVO, eMusic, Beatport e os grandes players locais em cada país.

Os serviços de distribuição digital da Ditto Music lidam com artistas já estabelecidos no cenário musical, além de selos, artistas emergentes e em desenvolvimento do mercado independente.

A Ditto Music hoje é a distribuidora independente que mais cresce, tanto no quesito quantitativo como qualitativo e está em plena expansão no mundo. Seus serviços são reconhecidos por milhares de selos e artistas independentes mundo afora, que em conjunto com as equipes locais vêm aumentando suas receitas.


Sobre – Unibes Cultural:
 

Ao completar dois anos de atividade, a Unibes Cultural consolida seu papel de hub da cultura, do empreendedorismo criativo e das causas sociais na cidade de São Paulo, ao convergir, conectar e distribuir cultura e diferentes conhecimentos. Assim, a instituição assume a vocação não só de formadora de público, mas também de agente transformador do cenário cultural. A estratégia não é criar uma nova agenda para São Paulo, mas potencializar o que já é feito por meio de espaço, encontros, debates e reflexões para todos que querem ajudar a preparar a cidade para o futuro.

A Unibes Cultural iniciou as atividades em agosto de 2015, como resultado de estudos realizados nos anos anteriores pela Unibes a fim de definir uma nova proposta para a cidade de São Paulo: pensar a cultura como vetor de desenvolvimento social, assim como a educação, a saúde, a geração de renda e as outras atividades exercidas pela instituição há mais de cem anos.

O objetivo é ir além da promoção cultural e refletir sobre o papel do indivíduo na sociedade do século XXI, caracterizada pelas novas tecnologias e as consequentes mudanças de comportamento. Como exemplo, um dos destaques entre as atrações do biênio foi a exposição Diálogo no Escuro, em que os visitantes percorriam ambientes totalmente sem luz e eram guiados por deficientes visuais. Além de fazer o público explorar os demais sentidos do corpo, a mostra teve como mensagem-chave a empatia, o que a torna seminal em uma sociedade cada vez mais complexa.

SERVIÇOS – SÃO PAULO
Rock in Lounge – 2018
Bandas: Mamamute e Wasadog
Teatro Unibes Cultural
Endereço: Rua Oscar Freire, 2500 – Sumaré – SP
Data: 26/05/2018
Horário: das 15hs às 18hs
Classificação etária: 12 anos
Reserve seu ingresso no link: AQUI



Fonte: Universo do Rock
 

terça-feira, 24 de abril de 2018

Titãs anuncia gravação de DVD no Teatro Opus em São Paulo

 

Apresentação especial, confirmada para o próximo dia 12 de maio, faz parte da programação que celebra um ano de atividades do Teatro Opus (Shopping Villa-Lobos). Ingressos já à venda.


Percorrendo por mais de três décadas as mais sinuosas estradas, os Titãs, um dos nomes mais extraordinários da história do rock nacional, acaba de anunciar mais um importante passo nesta nova fase da carreira.


Branco Mello (voz/baixo), Sergio Britto (voz/teclado/baixo), Tony Bellotto (guitarra), Mario Fabre (bateria) e Beto Lee (guitarra) confirmaram show especial para gravação do DVD da ópera-rock “Doze Flores Amarelas” em formato que valoriza o intimismo e a proximidade com o público.


A apresentação do próximo dia 12 de maio faz parte da programação comemorativa ao primeiro ano de atividades do Teatro Opus, uma das casas de espetáculos mais modernas de São Paulo, localizada no deck do Shopping Villa-Lobos.


Os fãs interessados em conferir esta histórica performance já podem garantir os ingressos na bilheteria do Teatro Opus (Shopping Villa-Lobos) ou pelo site da Uhuu (https://uhuu.com). 


Confira o serviço completo abaixo.


“Doze Flores Amarelas” narra a história de três jovens estudantes de faculdade (as Marias A, B e C) que, como todos de sua turma, usam a tecnologia frequentemente, em especial, um aplicativo chamado “Facilitador”. Numa dessas consultas, perguntam como devem fazer para curtirem ao máximo uma grande festa. Mas a festa acaba mal. Elas são violentadas pelos colegas.


O tema da narrativa foi uma unanimidade. E nasceu das inquietações atuais, contemporâneas como assédio, abuso, violência contra a mulher, aborto e tecnologia tóxica do mundo digital.
“Doze Flores Amarelas” reúne ao todo 25 composições inéditas, entre elas “A Festa”, “Me Estuprem” e, claro, a música que dá nome ao espetáculo. Branco Mello, Sergio Britto e Tony Bellotto decidiram pelo formato e convidaram Hugo Possolo, ator, dramaturgo e diretor do grupo de teatro Parlapatões, e o escritor, dramaturgo e jornalista Marcelo Rubens Paiva para reuniões criativas. Deste encontro surgiu o argumento, assinado pelos cinco.


Além de co-autor do argumento, Hugo Possolo divide a direção do espetáculo com o cineasta Otavio Juliano. Três cantoras/atrizes completam a linha de frente musical: Corina Sabbas, Cyntia Mendes e Yas Werneck.


O DVD tem lançamento previsto para dia 13 de julho via Universal Music. Antes disso, o grupo vai lançar três atos do espetáculo, em formato digital: Ato 1 (27 de abril), Ato 2 (04 de maio) e Ato 3 (11 de maio).


Vale a pena lembrar que o próprio Titãs protagonizou, em noite memorável, o show de inauguração do mesmo Teatro, que durante este período recebeu mais de 120 mil espectadores em festivais, programas ao vivo, prêmios importantes, temporadas de grandes musicais, teatro e shows inesquecíveis.


SERVIÇO SÃO PAULO
Sábado, 12 de maio, às 21h
Teatro OPUS (Av. das Nações Unidas, nº 4777 – Alto de Pinheiros/ 4o piso – Shopping Villa-Lobos)
www.teatroopus.com.br/
INGRESSOS:
Setor Inteira Meia-entrada
Balcão Nobre R$ 140 R$ 70
Plateia Alta R$ 200 R$ 100
Plateia Baixa R$ 220 R$ 110



Fonte: Universo do Rock
NEO HARDCORE ACADEMIA
 

sábado, 21 de abril de 2018

Jethro Tull: disponível agora o relançamento do album “Heavy Horses"

 

Chega a todas as plataformas digitais o relançamento de Heavy Horses, do Jethro Tull. O projeto chega repaginado para a comemoração do aniversário de 40 anos deste, que é um clássico da carreira do músico. Faixas extras acompanham as remixagens de Heavy Horses, Months e Acres Wild, feitas pelo produtor Steven Wilson.

O álbum, que figurou o TOP 20 de diversas partes do mundo em 1978, foi aclamado pela crítica, sendo um sucesso comercial e atraindo uma legião de fãs para o Jethro Tull. O lançamento inaugura uma série de homenagens pelos 50 anos do Jethro Tull, celebrados em 2018, ano que promete muitas supresas aos seguidores da icônica banda britânica de folk-rock.


Confira aqui o tracklist completo do projeto:


And The Mouse Police Never Sleeps (Steven Wilson Stereo Remix)
Acres Wild (Steven Wilson Stereo Remix)
No Lullaby (Steven Wilson Stereo Remix)
Moths (Steven Wilson Stereo Remix)
Journeyman (Steven Wilson Stereo Remix)
Rover (Steven Wilson Stereo Remix)
One Brown Mouse (Steven Wilson Stereo Remix)
Heavy Horses (Steven Wilson Stereo Remix)
Weathercock (Steven Wilson Stereo Remix)
Living In These Hard Times (Version 2) [Steven Wilson Stereo Remix]
Everything In Our Lives (Steven Wilson Stereo Remix)
Jack-A-Lynn (Steven Wilson Stereo Remix)
Quatrain (Studio Version) [Steven Wilson Stereo Remix]
Horse-Hoeing Husbandry (Steven Wilson Stereo Remix)
Beltane (Steven Wilson Stereo Remix)
Botanic Man (Steven Wilson Stereo Remix)
* Living In These Hard Times (Version 1) [Steven Wilson Stereo Remix]
* Botanic Man Theme (Steven Wilson Stereo Remix)
 .




Fonte: Warner Music

terça-feira, 17 de abril de 2018

Assista ao videoclipe de “Life on Earth”, novo single do Snow Patrol

 

A banda Snow Patrol acaba de lançar o videoclipe de “Life On Earth”. O single faz parte do próximo álbum da banda, “Wildness”, seu sétimo trabalho de estúdio, com lançamento programado para 25 de maio. “Don´t Give In” foi a primeira faixa do álbum divulgada pela banda e já conta com mais de 2 milhões de plays no Spotify.


Formado por Gary Lightbody, Paul Wilson, Nathan Connolly, Johnny McDaid e Jonny Quinn, o Snow Patrol fez uma pausa nos últimos anos. “Descobrir onde o Snow Patrol se encaixa no mundo da música após um intervalo de 7 anos será um desafio”, disse o vocalista, Gary Lightbody. Ao longo de uma carreira de duas décadas, o Snow Patrol encontrou seu espaço no mundo da música. Desde a sua estreia, em 1998, com o álbum “Songs for Polarbears”, a banda já angariou um número impressionante de elogios de público e crítica pelo mundo. Seu último disco, “Fallen Empires”, de 2011, vendeu mais de 260 mil cópias somente no Reino Unido.


Com números expressivos, incluindo 15 milhões vendas de álbuns, mais de 1 bilhão de streams globais, múltiplos certificados de platina no Reino Unido e indicações aos prêmios GRAMMY , BRIT Award e Mercury Music, “Don´t Give In” é uma bela amostra do que esperar do novo álbum. Um dos maiores sucessos da banda, a música “Chasing Cars”, tem mais de 183 milhões de views no YouTube e mais 4 milhões de streams.



Fonte: Universo do Rock

NEO HARDCORE 

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Roger Waters: anunciada data extra para o show em São Paulo



Os fãs acabam de ganhar Mais uma oportunidade para curtir a celebrada turnê mundial, Us + Them, de Roger Waters! Uma nova apresentaçãovai acontecer no dia 10 de outubro, no Allianz Parque, em São Paulo. Os ingressos do show do dia 09 de outubro, em São Paulo, já estão esgotados.

No show do dia 10 de outubro, clientes Cartão Elo contarão com pré-venda exclusiva entre os dias 16 e 18 de abril, começando às 20H do dia 16 de abril pela internet (http://www.ticketsforfun.com.br/ [9]) e às 12h do dia 17 de abril na bilheteria oficial (sem taxa de conveniência: Citibank Hall, em São Paulo) e pontos de venda espalhados pelo Brasil. A pré-venda exclusiva para clientes cartão Elo termina às 20h do dia 18 de abril.

Para o público em geral as vendas começam dia 19 de abril, a partir de 00H01 pela internet (http://www.ticketsforfun.com.br ) e às 12h na bilheteria oficial (Citibank Hall, em São Paulo) e pontos de venda espalhados pelo Brasil.


ROGER WATERS – US + THEM TOUR
PRESENTADO POR: CARTÃO ELO
REALIZAÇÃO: TIME FOR FUN
 
SÃO PAULO (SP)
CERVEJA OFICIAL: HEINEKEN
FORNECEDOR OFICIAL: HOSPITAL SANCTA MAGGIORE
DATA: Terça-feira, 09 de outubro de 2018 (ESGOTADO)
Quarta-feira, 10 de outubro de 2018.
LOCAL: ALLIANZ PARQUE - Rua Turiassú, 1840 - Perdizes - São Paulo - SP
ABERTURA DOS PORTÕES: 17h
HORÁRIO DO SHOW: 21h
CAPACIDADE: 45.500 pessoas
INGRESSOS: de R$ 165 a R$ 810 (ver tabela completa)
CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: De 10 a 15 anos permitida a entrada acompanhado de responsável. A partir dos 16 anos é permitida a entrada desacompanhada.
 
INGRESSOS
SETORES
½ ENTRADA
 
INTEIRA
CADEIRA SUPERIOR
R$ 165,00
R$ 330,00
PISTA
R$ 190,00
R$ 380,00
 
CADEIRA INFERIOR
R$ 275,00
R$ 550,00
 
PREMIUM ELO
R$ 405,00
R$ 810,00
 
- Meia-entrada: obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário: no ato da compra e entrada do evento (para compras na bilheteria oficial e pontos de venda físicos) / na entrada do evento (para compras via internet).
 
- Para o show do dia 10 de outubro em São Paulo, os CLIENTES CARTÃO ELO contarão com 
PRÉ-VENDA EXCLUSIVA entre os dias 16 e 18 DE ABRIL, começando ÀS 20H do DIA 16 DE ABRIL pela INTERNET (http://www.ticketsforfun.com.br/) e ÀS 12H DO DIA 17 DE ABRIL na BILHETERIA OFICIAL (_sem taxa de conveniência: CITIBANK HALL, em SÃO PAULO)_ e pontos de venda [10] espalhados pelo Brasil. A pré-venda exclusiva para clientes cartão Elo termina ÀS 20H DO DIA 18 DE ABRIL.
 
- A venda para o show do dia 10 de outubro, em São Paulo, para o PÚBLICO EM GERAL começará DIA 19 DE ABRIL, a partir de 00H01 pela internet (http://www.ticketsforfun.com.br/) e às 12H na BILHETERIA OFICIAL (CITIBANK HALL, em SÃO PAULO) e pontos de venda [10] espalhados pelo Brasil.
 
- PARA O SHOW DO DIA 10 DE OUTUBRO, em SÃO PAULO, DURANTE O MÊS DE ABRIL, CLIENTES CARTÃO ELO podem parcelar seus ingressos em até 6 VEZES e os clientes dos DEMAIS CARTÕES em até 4X.
 
- DEPOIS DESSE PERÍODO, CLIENTES CARTÃO ELO poderão parcelar em até 3 VEZES e CLIENTES DOS DEMAIS CARTÕES em ATÉ 2X o show do DIA 10 DE OUTUBRO, EM SÃO PAULO.
- Será possível comprar até 6 ingressos por CPF
 
BILHETERIA OFICIAL – SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA
CITIBANK HALL - Av. das Nações Unidas, 17.955 - Santo Amaro - São Paulo (SP).
Segunda-feira - fechada.
De terça a sábado: das 12h às 20h.
Domingo e feriado: das 13h às 20h.
 
LOCAIS DE VENDA – COM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br
Retirada na bilheteria e E-ticket - taxas de conveniência e de entrega.
Pontos de venda no link: http://premier.ticketsforfun.com.br/shows/show.aspx?sh=pdv
FORMAS DE PAGAMENTO VÁLIDAS TICKETS FOR FUN
 
INTERNET:
Cartões de crédito Elo, MasterCard, American Express, Visa, Diners Club e Hipercard.
BILHETERIA E PONTOS DE VENDA:
Dinheiro;
Cartões de Credito Elo, MasterCard, American Express, Visa, Diners Club e Hipercard;
Cartões de Débito Elo, Visa Electron, MasterCard débito e Hipercard.
Vale Cultura

Fonte: Assessoria De Imprensa – T4F

sábado, 7 de abril de 2018

Dimmu Borgir confirma show único no Brasil em novembro


A banda norueguesa Dimmu Borgir acaba de confirmar apresentação única no Brasil dia 9 de novembro, em São Paulo, no Tropical Butantã. O show no Brasil faz parte da turnê sul-americana do novo álbum “Eonian”, que já tem apresentações marcadas na Argentina, Chile, Colômbia e México City.

O Dimmu Borgir vem ao Brasil para divulgar “Eonian”, novo álbum que será lançado em maio pela Nuclear Blast Records. A formação atual conta com Shagrath (vocal), Silenoz (guitarra), Galder (guitarra), Daray (teclado) e Gerlioz (bateria).

Com dez faixas, “Eonian” tem canções como “Interdimensional Summit”, “Council Of Wolves And Snakes” e “Lightbringer”. Comemorando o 25º aniversário do Dimmu Borgir, o novo álbum lida com um conceito filosófico baseado na ilusão do tempo. “Eonian” foi produzido pela banda ao lado de Jens Bogren.

“O tempo, quando não considerado no formato que estamos acostumados, não pode ser definido e, portanto, é ilusório”, explicou Silenoz. “Há apenas um ‘eterno agora’, que o título do álbum insinua. Quando viajamos entre os mundos visíveis e invisíveis, a percepção do tempo deixa de existir, não tem função. A energia é nossa tocha e bússola quando nós fazemos riffs e atravessamos o véu – quando vamos além”, disse Silenoz.

Formado há 25 anos, o Dimmu Borgir começou a chamar a atenção na cena metal mundial com o disco “For All Tid”, de 1996. Álbuns como “Godless Savage Garden” (de 1998), “Puritanical Euphoric Misanthropia” (2001) e “In Sorte Diaboli” (2007) transformaram o Dimmu Borgir em uma lenda do Black Metal em todo o mundo. O trabalho de estúdio anterior a “Eonian” é “Abrahadabra”, que saiu em 2010.

O Dimmu Borgir acaba de divulgar dois videoclipes inéditos para promover o novo álbum “Eonian”. Confira os vídeos abaixo.


SERVIÇO SÃO PAULO

Data: 9 de novembro de 2018
Abertura dos portões: 20h30
Local: Tropical Butantã
End: Av. Valdemar Ferreira, 93 (200m do Metrô Butantã)
Ingressos: (1º lote)

– PISTA MEIA/PROMOCIONAL*: R$ 100,00
– PISTA VIP MEIA/PROMOCIONAL*: R$ 150,00
– MEZANINO PROMOCIONAL*: R$ 300,00 – Open bar
*O ingresso promocional antecipado é válido mediante a entrega de 1 kg de alimento não-perecível na entrada do evento.


Fonte: Universo do Rock

terça-feira, 3 de abril de 2018

Show do Radiohead no Rio foi transferido para a Jeunesse Arena, em 19 de abril

 

O Soundhearts Festival, com Radiohead, foi transferido para a Jeunesse Arena, no mesmo complexo do Parque Olímpico (Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3401 – Barra da Tijuca). A nova data é o dia 19 de abril.

Para os clientes que já adquiriram seus ingressos não há necessidade de troca, bastando apenas apresentar o ingresso já comprado no acesso ao evento. O setor original “lounge” será alocado nos “camarotes”, na Jeunesse Arena.

Novos ingressos podem ser adquiridos em Livepass.com.br
Um novo setor será colocado à venda, as ‘’Cadeiras Nível 3’’, ao valor de R$ 170,00 (meia-entrada) e R$340,00 (inteira).

SERVIÇOS:

RIO DE JANEIRO
DATA: 19 de abril
LOCAL: Jeunesse Arena (Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3401 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ)
HORÁRIO: A partir de 18h30
VALORES:
Pista (inteira): R$ 380,00 – ESGOTADO
Pista (meia): R$ 190,00 – ESGOTADO
Lounge (preço único): R$ 800,00 – ESGOTADO
Cadeira nível 3 (inteira): R$ 340,00
Cadeira nível 3 (meia): R$ 170,00
Ingressos: Livepass

SÃO PAULO
DATA: 22 de abril
LOCAL: Allianz Parque (Av. Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca, São Paulo – SP)
HORÁRIO: A partir de 16h30
VALORES:
Pista 1 (inteira): R$ 700,00
Pista 1 (meia): R$ 350,00
Pista 2 (inteira): R$ 360,00
Pista 2 (meia): R$ 180,00
Cadeiras Oeste/Leste (inteira): R$ 470,00
Cadeira Oeste/Leste (meia): R$ 235,00
Cadeira Sul (inteira): R$ 420,00
Cadeira Sul (meia): R$ 210,00
Cadeira Superior (inteira): R$ 260,00
Cadeira Superior (meia): R$ 130,00
Ingressos: Livepass
 
Foto: Reprodução/Youtube
Fonte: Universo do Rock 

LEIA TAMBÉM:

PASSOU DOS LIMITES NA SEMANA SANTA? AQUI TEM EXEMPLO DE SUPERAÇÃO...

segunda-feira, 26 de março de 2018

Os altos e baixos do Lollapalooza 2018

Em sua maior edição, evento conseguiu bater a meta de 300.000 em público

 

Público posa em frente ao letreiro do Lollapalooza

Público posa em frente ao letreiro do Lollapalooza (Natália Luz/VEJA)

 

O Lollapalooza 2018 já pode comemorar. Com três dias de duração, um a mais que o habitual de anos anteriores, o festival de música alcançou a meta almejada, levando mais de 300.000 pessoas ao Autódromo de Interlagos, em São Paulo, entre sexta-feira e domingo. O número faz desta a maior edição do evento até então, e coloca o Lolla Brasil entre os mais relevantes de sua casa — o Lollapalooza Chicago dura quatro dias e soma 400.000 em público.

Outra boa notícia é que o festival aprendeu com erros do passado. Dramas de mobilidade dentro do Autódromo, com palcos muito distantes, foram resolvidos este ano. Assim como a diminuição de filas para compra de alimentos e bebidas. Entram na categoria problemas os absurdos preços dos ingressos e problemas técnicos e de estrutura dos palcos. Confira a seguir os altos e baixos do Lollapalooza 2018:

Altos

Lollapalooza - Volbeat

Lolla Cashless – A pulseira que serve para fazer compras funcionou bem, com vários postos de recarga. Consumir comida e bebida foi uma tarefa fácil, pela quantidade de ambulantes e tendas espalhadas. O preço, contudo, se manteve salgado como sempre, com um copo de cerveja custando 13 reais.

Poucas filas – Se organizar direitinho, todo mundo se diverte e pega pouca fila. Depois de muitas edições com filas gigantescas, o Lolla aprendeu a espalhar bem suas tendas e banheiros, e se beneficiou da facilidade da pulseira como forma de pagamento.

  
Alok se apresenta durante o primeiro dia do festival Lollapalooza 2018, realizado no Autódromo de Interlagos – 23/03/2018


Alok se apresenta durante o primeiro dia do festival Lollapalooza 2018, realizado no Autódromo de Interlagos - 23/03/2018 (Natália Luz/VEJA.com)

Posicionamento dos palcos – A distância entre os palcos — e as voltas para chegar de um ao outro — era um antigo problema do Lolla. Este ano, ele foi resolvido com palcos mais próximos um dos outros e shows intercalados. Assim, resolveu-se o problema de vazamento do som e congestionamento de pessoas em trânsito entre uma apresentação e outra.

Line-up – Não foi a melhor seleção de bandas e músicos de um Lollapalooza, mas também está longe de ser a pior. Jovens nomes do cenário nacional, como Liniker e Mahmundi, tiveram sua chance, enquanto os figurões foram representados por bandas relativamente atuais, como Imagine Dragons, The Killers e Lana Del Rey, deixando a categoria veteranos sob a responsabilidade de David Byrne, Red Hot Chilli Peppers e Pearl Jam.


Baixos

Acesso – Encarar o trânsito de São Paulo para chegar ao festival é, ainda, a tarefa mais estressante de todo o processo. Na sexta-feira, somado ao movimento natural da cidade, foi ainda pior. Na saída, o festival se aliou ao Uber para marcar pontos de encontro que facilitariam o escopo. Mesmo assim, uma ida do Autódromo à Avenida Paulista, por exemplo, podia demorar entre 1h30 e 2 horas de um trajeto que leva em torno de 45 minutos de carro. Enquanto não se resolve o problema de trânsito ao redor, a melhor opção para chegar ao Lolla é a estação de trem que fica a 15 minutos de caminhada do Autódromo.
Palco Ônix – Segundo espaço mais importante do evento, atrás do palco Budweiser, o Ônix foi um dos mais problemáticos do festival. Foi lá que o show de Liniker e os Caramelows acabou na metade por problemas técnicos. Ali também foi difícil ouvir o que cantava a banda Imagine Dragons, um dos momentos mais frustrantes do Lolla 2018.

A banda Imagine Dragons se apresenta durante o segundo dia do festival Lollapalooza, no Autódromo de Interlagos - 24/03/2018  
A banda Imagine Dragons se apresenta durante o segundo dia do festival Lollapalooza, no Autódromo de Interlagos


Confusão de palcos – Colocar Imagine Dragons e Lana Del Rey no palco Ônix foi uma decisão contestável. Ambos os espaços ficaram extremamente lotados do público que se aglomerou para ver os populares artistas. No domingo, por exemplo, Liam Gallagher se apresentava no palco principal com vários espaços vazios na plateia, que preferiu guardar lugar no palco vizinho, esperando por Lana.

Preço dos ingressos – apenas uma line-up com Paul McCartney, Rolling Stones, Beyoncé e Adele valeria 800 reais por dia.

Sorte

Público chega ao Autódromo de Interlagos, zona sul da capital paulista, para participar do festival Lollapalooza - 23/03/2018  
Público chega ao Autódromo de Interlagos, zona sul da capital paulista, para participar do primeiro dia de shows do festival Lollapalooza – 23/03/2018



Público chega ao Autódromo de Interlagos, zona sul da capital paulista, para participar do primeiro dia de shows do festival Lollapalooza - 23/03/2018 (Felipe Cotrim/VEJA.com)

Entre os altos e baixos, o Lollapalooza 2018 contou com uma ajudinha dos céus. Os três dias forma embalados por muito sol. Se chovesse, a plateia teria dificuldades em ver alguns palcos, como Ônix e Axe, onde era necessário se equilibrar em um terreno íngreme e revestido por pedregulhos.


Fonte: Revista Veja

quinta-feira, 22 de março de 2018

Abril Pro Rock divulga line-up completo da edição 2018 em Recife



O Abril Pro Rock divulga o seu line-up completo da sua 26ª edição, que continua apostando na força do rock. O evento realizado pela Astronave Iniciativas Culturais acontece nos dias 27 e 28 de abril de 2018, no Baile Perfumado, e dá espaço para as mais diversas tendências do gênero, trazendo para a programação todo o peso das guitarras. Os ingressos para os dois dias de festival estão disponíveis para compra online através do link http://www.sympla.com.br/abrilprorock2018 e nas lojas Passadisco e Disco de Ouro. O primeiro lote dos ingressos, válido até o dia 26 de março, custa R$ 50 (meia entrada), R$ 60 (ingresso social + 1 kg de alimento) e R$ 100 (inteira). No segundo lote, os valores passam para R$ 60 (meia entrada), R$ 70 (ingresso social + 1 kg de alimento) e R$ 120 (inteira).



Com a curadoria de Paulo André Moraes, Guilherme Moura e Alcides Burn, o festival tem confirmado em sua programação as participações da lenda do rock Richie Ramone (EUA), e das bandas Asomvel (ING), Supersuckers (EUA), 70mg (PE), Plugins (PE) e Mad Monkees (CE). No sábado, dia tradicionalmente dedicado ao metal, estão confirmadas as presenças das bandas Moonspell (Portugal), Immolation (EUA), Noturnall (SP), Uganga (MG) Armored Down (SP), Heavenless (RN), Hanagorik (PE), Matakabra (PE), Autopse (AL) e Decomposed God (PE).



O Abril Pro Rock é um dos festivais independentes mais relevantes do País por sempre reunir jovens artistas e bandas novas ao lado de clássicos nacionais e internacionais; e expoentes de uma nova música produzida no Brasil; a exemplo de Johnny Hooker, Barbara Eugênia, Tulipa Ruiz, Marcelo Jeneci, Felipe Cordeiro, Karina Buhr, Daniel Groove, Almério e muitos outros.



Nos últimos anos, além dos dois dias de shows, o Festival apresenta uma ampla programação paralela, a exemplo da Mostra Pôster Arte Design na sua sétima edição, que neste ano vai ocupar o Centro Cultural dos Correios.
Serviço:
Festival Abril pro Rock 2018
27 e 28 de abril de 2018
Baile Perfumado – Rua Carlos Gomes, 390, Prado, Recife [2]
Ingressos 1º lote (até 26 de março)
R$ 50 (meia-entrada)
R$ 60 + 1 kg de alimento não-perecível (entrada social)
R$ 100 (inteira)
Segundo lote (a partir de 27 de março)
R$ 60 (meia-entrada)
R$ 70 + 1 kg de alimento não perecível (entrada social)
R$ 120 (inteira)
Entrada mediante apresentação de documento oficial com foto (carteira de trabalho, RG ou passaporte). Menores de 18 somente com autorização por escrito dos pais/ responsáveis.
Ingressos à venda nas lojas Passadisco, Disco de Ouro e no site http://www.sympla.com.br/abrilprorock2018



Fonte: Maria Helena Monteiro

Curiosidades sobre o "anjo torto" Torquato Neto

 Resultado de imagem para Fotos de  Torquato Neto

segunda-feira, 19 de março de 2018

Curiosidades sobre o "anjo torto" Torquato Neto

 Resultado de imagem para Fotos de  Torquato Neto

Um homem de nome não revelado de Teresina - Piauí, descobriu em uma casa na periferia da cidade, uma raridade do cenário musical brasileiro. Trata-se de um disco de vinil do cantor piauiense e um dos ícones da "tropicália" Torquato Neto. A descoberta aconteceu por acaso durante uma faxina em um quarto da residência pouco frequentado por um amigo da família que estava passando uma temporada no lugar.

Torquato Neto nasceu em Teresina, foi radialista, jornalista onde manteve uma das mais conceituadas colunas do jornalismo daquela época intitulada "GELEIA GERAL" no jornal O Globo. O anjo torto como era assim chamado foi também; poeta, compositor e compôs letras com Caetano Veloso, Capinam, Tom Zé, Gilberto Gil, Edu Lobo entre outros. Mais foi  à cantora Gal Costa uma das mais importantes interpretes das musicas de Torquato Neto.

A descoberta dessa obra em vinil é uma verdadeira obra de arte do artistas que tem chamado atenção de colecionadores de varias partes do Brasil e depois desta matéria com certeza do mundo. O disco atualmente encontra-se com o proprietário de nome Antonio Carlos de 50 anos de idade e curiosamente, trabalha hoje como cuidador de idosos entre uma de suas funções. E já adiantou que não deseja se desfazer de sua mais nova descoberta.


Na década de oitenta, a banda de rock "Titãs" estourou no cenário pop rock brasuca com a musica "Go Back", e foi uma das mais tocadas e admiradas do artista. Na época quase ninguém no seu estado de origem sabia que aquela musica tão tocada nas rádios era na verdade de um piauiense. Torquato Neto nasceu em 09 de novembro de 1944 e morreu no Rio de Janeiro em 10 de novembro de 1972 vitima de suicídio.


Como está página destina-se mais ao rock,
 nós fechamos está matéria com à musica "Go Back"



Texto e Pesquisa
Aroldo Fernandes, Wellington Oliveira,  Pedro, Sergio e Fernando Gabriel

Edição: Gabriel Hammer



Fundador do The Who, Roger Daltrey, lança seu novo single, “As Long As I Have You”

 

Condecorado como “Comandante do Império Britânico” por sua contribuição ao mundo da música, Roger Daltrey acaba de lançar, em todas as plataformas digitais, o primeiro single de seu novo álbum homônimo, “As Long As I Have You”, que terá lançamento em junho deste ano.

O primeiro álbum solo do cantor desde 1992, “As Long As I Have You”, inclui uma mistura de músicas inéditas e covers de algumas das canções favoritas de Roger. Os covers incluem faixas de Stevie Wonder, Dusty Springfield, Steve Stills, Parlamento, Nick Cave & Garnet Mimms. O álbum conta ainda com a estrelar parceria de Pete Townshend, à frente do violão em várias faixas. Esta é a primeira vez eles que gravam juntos desde o último álbum de estúdio do The Who, “Endless Wire”, de 2006.



Fonte: Universo do Rock
TOTAL ROCK

segunda-feira, 12 de março de 2018

The Dead Daisies lança “Rise Up” o primeiro single do novo disco


“Rise Up”, single lançado no dia 9 de março, sexta-feira, é a primeira faixa divulgada de Burn It Down, quarto disco de estúdio The Dead Daisies. Com uma batida arrebatadora e guitarras potentes, a música constrói o cenário ideal de um outro grande ano para a banda.

“‘Rise Up’ tem um riff old school do Sabbath, somado a uma letra raivosa sobre o atual estado do mundo! É sobre as pessoas que estão no poder dizerem que têm os melhores interesses mas, na verdade, não terem! Precisamos nos levantar e fazer com que nossas vozes sejam ouvidas, para dizermos para eles que queremos mudança e merecemos coisas melhores!”, disse o vocalista John Corabi.

O lançamento do single é acompanhado por um videoclipe provocante, que explora os problemas citados por Corabi.


Burn It Down, que chega em 6 de abril pela Spitfire Music, é um disco poderoso, com uma bateria que pulsa, um baixo inesquecível, guitarras que gritam e vocais honestos. Evocando o melhor do Rock dos anos 1970, Burn It Down irá destruir todos os obstáculos em seu caminho.

Em abril, o The Dead Daisies embarca em uma turnê mundial com datas já esgotadas no Reino Unido e na Europa. Depois, a banda parte para o aguardado retorno ao Japão e à América do Sul.

O The Dead Daisies é composto por Doug Aldrich (Whitesnake, Dio), John Corabi (Mötley Crüe, The Scream), Marco Mendoza (Whitesnake, Thin Lizzy), Deen Castronovo (Bad English, Journey) e David Lowy (Red Phoenix, Mink).


Fonte: Universo do Rock

ENTENDA O QUE É E COMO FUNCIONA CONSULTORIA ON LINE.

Sobre a consultoria online

sexta-feira, 9 de março de 2018

Rainbow: “Waiting For A Sign” é a primeira inédita em 20 anos

 

O primeiro single do Rainbow desde 1996, Waiting For A Sign, foi lançado oficialmente. A música foi escrita por Ritchie Blackmore, com letras de sua esposa Candice Night e vocais do atual cantor da Rainbow, Ronnie Romero, que é originário do Chile, mas agora está morando em Madri.

Ouça aqui a nova música Waiting For A Sign:



Essa última formação do Rainbow lançou duas novas gravações de estúdio no ano passado, mas não eram composições originais: uma era uma canção instrumental chamada Land Of Hope And Glory, que foi uma reformulação da canção patriótica britânica de 1902 de mesmo nome da Pomp And Circumstance March No. 1 de Edward Elgar, enquanto a outra era uma re-gravação de o clássico Rainbow I Surrender, que foi escrito por Russ Ballard e foi lançado pelo Rainbow em 1981.

Waiting for A Sign será incluído em Memories in Rock II, que será lançado em 6 de abril via Minstrel Hall / Soulfood. O conjunto também conterá um CD duplo dos concertos U.K. Rainbow de junho de 2017, um DVD contendo mais de 80 minutos de metragem de entrevistas com a banda e a equipe, um clipe de backstage adicional e um vídeo para a versão de estúdio de 2017 I Surrender.

O setlist, que combina faixas clássicas do Deep Purple e do Rainbow, foi exatamente o que os fãs solicitaram e será encontrado neste pacote de CD duplo. Alguns destaques são Spotlight Kid, I Surrender, Mistreated, Man On The Silver Mountain / Woman From Tokyo, Perfect Strangers, Black Night e Smoke On The Water - cada um com a performance estelar de Blackmore na guitarra e solos executados perfeitamente pelo mestre. Seu deslocamento brilhante nunca pode ser duplicado e é claramente um destaque de cada faixa desse pacote de CD duplo.

Lista de faixas Memories in Rock II:

Disco 1

01. Over The Rainbow
02. Spotlight Kid
03. I Surrender
04. Mistreated

05. Since You've Been Gone
06. Man On The Silver Mountain/Woman From Tokyo
07. 16th Century Greensleeves
08. Soldier Of Fortune
09. Perfect Strangers
10. Difficult To Cure
11. All Night Long
12. Child In Time

Disco 2

01. Stargazer
02. Long Live Rock'n'Roll/Lazy
03. Catch The Rainbow
04. Black Night
05. Carry On Jon
06. Temple Of The King
07. Smoke On The Water
08. Waiting For A Sign

Disco 3

01. Ritchie Blackmore Interview
02. Ronnie Romero Interview
03. Jens Johansson Interview
04. Bob Nouveau Interview
05. David Keith Interview
06. Candice Night Interview
07. Lady Lynn Interview
08. Dave David Interview
09. Andreas Bock Interview
10. Michael Bockmühl Interview
11. Bonus Backstage Clip
12. I Surrender 2017 Backstage Clip



Fonte: Blabbermouth 


ENTENDA O QUE É E COMO FUNCIONA CONSULTORIA ON LINE.

Sobre a consultoria online

Arquivo do blog